Aproveite o novo ano e mude (para melhor) a sua vida!

Faz parte da vida surgir situações desagradáveis, desanimadoras, tristes e dolorosas. Momentos muito fortes e intensos que apesar de serem naturais da vida, se você não conseguir usar a sua força de ego, certamente entrará em declínio.

Perder aquele grande amor, descobrir uma traição, sofrer uma rejeição, perceber que apesar de todos os esforços não conseguiu atingir seus objetivos no relacionamento que há tempos deixa claro que está condenado ao fracasso, ter sofrido uma grande desilusão e decepção. Dentre tantos outros, são momentos tristes e complicados.

No momento em que alguém está vivendo essas situações, é extremamente difícil analisar o que está acontecendo de uma maneira clara e objetiva e, é nesta hora que é preciso ir em busca de um auxílio que ajude a ver a situação de maneira mais ”fria”, afinal quem está dentro desses acontecimentos obviamente não consegue enxergar direito e com mais transparência.

Cada pessoa reage de uma maneira diferente a tudo, há aquelas que passam a sentir pena de si mesmas, tem as que fazem da raiva uma mola propulsora para a superação e há aquelas que se deixam levar por doenças emocionais e consequentemente acabam optando por alimentar e remoer estas dores pelo resto de suas vidas.

Estas últimas costumam resgatar constantemente situações que aconteceram há muitos anos. Fazem questão de retomar com detalhes toda a dor sentida, trazem tudo para o presente até estas emoções voltarem como se estivessem acontecendo novamente e as vezes são como verdadeiros ”troféus” que essas recordações desagradáveis são mantidas.

Esses tipos de pessoas fazem questão de permanecerem presas às suas tristezas e a episódios dolorosos de sua história. Não conseguem virar a página e fazem questão de não superar os sofrimentos de relacionamentos passados. Não procuram perceber que sofrer faz parte da vida, pode acontecer com todos e ainda esquecem o principal, que além de necessário, é possível sim superar este sofrimento.

O que torna este mecanismo humano mais complicado é que todas as situações que surgem no presente que aparentam ser semelhantes são avaliadas pelos acontecimentos já vivenciados, afinal o passado torna-se uma constante presença. Então, essas pessoas não percebem que com estas atitudes, são lançadas voluntariamente para o campo do complexo de inferioridade e também uma pena a si mesmas passa a ser cultivada.

Existem sim várias opções de saídas para estes martírios ”sem fim” e a primeira delas é começar a perceber que muitas pessoas ao seu redor e que gostam muito de você também podem estar sofrendo bastante com esta situação que você alimenta e se encontra.

Tomar iniciativa para procurar fazer um grande esforço de se libertar deste ciclo vicioso; se auto-descobrir e assim enxergar quais ideias e objetivos deseja alcançar; estabelecer novos projetos de vida para um futuro melhor e mais saudável, pois não é porque fizeram você sofrer no passado que você deve continuar a fazer isso com si; olhar o que viveu como uma experiência de vida e jamais negar para si a possibilidade de ser feliz.

Estas tarefas não são nada fáceis e são desafiadoras, mas também não são impossíveis de alcançar e caso você sentir que não consegue elaborar estes conflitos e se libertar por si só, a psicoterapia é uma excelente indicação.

Um feliz 2017 a todos/as!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s